Total de visualizações de página

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Pena d'eu (cristianidades)

Pobre curitibano é oque sou
pobre curitibano despatriado
catarinando por estes lados
suando em bicas
saudades do ar gelado
pobre curitibano é oque sou
chorando amores perdidos
chorando amigos passados
esquecidos em algum lugar
congelados em retratos
mofando em meu armário
saudades contidas
pobre curitibano é oque sou
saudoso do cinza,e,
daquela gente tímida e reservada
da correria pandemônica nas calçadas
dos rostos áusteros e individuais
congelados pelo frio, sem poder sorrir
de medo que o rosto se parta...
pobre curitibano é oque sou.
sufocando com meus rabiscos
abafado no quarto, ausente
enquanto o ventilador azul
empurra sôfrego o ar quente
pobre curitibano é oque sou
por sentir pena de mim mesmo
ególatra e solitário poeta
a rabiscar amenidades
disfarçado em tímidas poesias
decompostas...

4 comentários:

Milene Lima disse...

Dentro da minha ignorância sobre o que se passa aí pros lados do Sul, imaginei que não houvesse tanta diferença no clima dos três estados. Então catarinar faz suar? Rsrs...

Andou sumido, moço.
Suas letras, quando se juntam, formam coisa muito boa de se ler.

Beijos!

Tiago do Valle disse...

Um poeta (não pseudo) que escuta Hendrix, só poderia escrever versos muito bons. A imaginação poética aliviando a saudade de casa... Demais.

Tiago do Valle disse...

Um poeta (não pseudo) que escuta Hendrix, só poderia escrever muito bem. A imaginação poética em prol do alívio da saudade. Demais.

Controvento-desinventora disse...

Adorei seu blog: bom gosto, criativo e me fez adorar ainda mais o Sul.
Sou da região serrana e conheço essas temperaturas e seus contrastes, morando tão perto do Rio.
Saudade sempre dá bons textos, quando há poesia na veia.
Seja bem vindo ao meu blog.